Alimentação Consciente: Guia Alimentar Brasileiro - Livro de Quinta

Alimentação Consciente: Guia Alimentar Brasileiro – Livro de Quinta

O Guia Alimentar Brasileiro é considerado um dos melhores do mundo, por seus princípios e orientações. Conheça aqui no Amélia com Vaidade este e outros Guias do Ministério da Saúde que são leituras obrigatórias para quem busca informações confiáveis sobre alimentação para fazer escolhas conscientes.

Percebo, com muita alegria, um crescimento no interesse das pessoas em uma alimentação mais saudável e equilibrada. E por acreditar que boas escolhas só acontecem quando temos informação de qualidade para nos basearmos, trago para o Amélia com Vaidade as melhores publicações sobre o tema Alimentação Saudável disponíveis na língua portuguesa. Talvez você se pergunte “Nossa Daniela, mas como você tem certeza que essas são as melhores publicações?” Bom, na verdade não conheço todas as publicações que existem, mas estes são Guias oficiais do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria, que reuniram diversos profissionais para a elaboração desses materiais, que trazem informações compatíveis com diversos outros materiais, com a vantagem de terem uma linguagem acessível e estarem disponíveis gratuitamente para todos.

Compartilho aqui, em especial os Guias de Alimentação Infantil pois foram através desses dois que a minha jornada por uma alimentação saudável de fato começou. Quando minha filha mais velha, hoje com 4 anos, estava prestes a iniciar a alimentação complementar, o pediatra pediu meu email, pois enviaria um material sobre alimentação, e eu poderia tirar minhas dúvidas na consulta seguinte. Eu, mãe de primeira viagem, esperava algumas receitas, talvez um tabela de alimentos proibidos, mas ele enviou um material bacanérrimo, que incluía o Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos, do Ministério da Saúde e o Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria. Confesso que no início foi estranho ter tanto material para algo tão simples, como papinhas de bebê, mas logo percebi o quanto de mitos rodeiam este tema e o quão simples poderia ser este processo. Segui o material na introdução alimentar e nos meses seguintes, e tivemos muito sucesso, a Natália sempre foi uma criança que comeu bem, tanto em quantidade quanto em variedade. Repliquei o material para diversas mães, que assim como eu, sequer sabiam da existência preciosa destes Guias e estavam cheias de dúvidas, e o retorno foi positivo. Quando tive minha segunda filha, novamente pautei a introdução alimentar nos mesmos conceitos que já eram aplicados em nossa casa, e também considero que tivemos sucesso. Pela riqueza de informações e pela forma descomplicada como elas são apresentadas, recomendo para todos aqueles que convivem com crianças.

Em 2014, numa época em que eu já estava com meus conceitos de alimentação saudável definidos e com alguns parâmetros do que considero plausível de aplicar no nosso dia a dia, o Ministério da Saúde lança no novo Guia Alimentar para a População Brasileira. Confesso que a paixão foi “à primeira página”, pois este Guia traz como diretrizes tudo que eu considero adequado em termos alimentares, inclusive por não proibir nada! O nosso guia brasileiro é tão completo e ao mesmo tempo tão diferente que foi indicado pelo portal Vox, dos Estados Unidos (confira aqui a matéria completa), como o melhor guia do mundo. Na seqüência, foi lançado o Livro de Alimentos Regionais Brasileiros, que traz não somente os alimentos in natura de cada região, mas também os modos de preparos tradicionais. Uma maravilha em termos de respeito a diversidade e cultura alimentar.

E o melhor: todos os materiais estão disponíveis on line, você pode salvar e ler no momento que quiser! Vamos falar mais sobre cada uma delas:

Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos

Link disponibilizado pelo Ministério da Saúde para profissionais AQUI e para a população AQUI

Alimentação Saudável para Crianças Menores de Dois anos - Guia alimentar do Ministério da Saúde

Fonte: Portal da Saúde – SUS Disponível em http://dab.saude.gov.br/imgs/portaldab/biblioteca/publicacoes/album_seriado_10_passos.jpg – 13/04/2016

Versão voltada para profissionais da saúde, mas que contém informações preciosas para mães e cuidadores. Os Dez Passos para uma alimentação saudável incluem aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade, estimular o consumo diário de  frutas e legumes e evitar alimentos industrializados, café, refrigerantes e enlatados. Contém esquema para a introdução da alimentação complementar (que eu considerei muito rápido ao primeiro contato, mas foi um sucesso por aqui, com excelente aceitação), e prioriza alimentos regionais, com exemplos de papas que contemplem a cultura local. Para a região norte, uma das sugestões é açaí com farinha de tapioca e peixe desfiado, para a região norte baião de dois com carne moída, enquanto que para o sul  tem purê de batata doce com rúcula, arroz com cenoura e carne desfiada, com observações quanto ao significado do “salgado” e o uso de temperos nestas preparações. Também contempla cuidados com higiene e situações problemáticas para a família. Pessoalmente, considero uma leitura obrigatória e muito tranquilizadora para os seres ansiosos que atendem por “mãe” e “pai”.

 

Dez Passos para uma Alimentação Saudável – Guia Alimentar para crianças menores de dois anos

link disponibilizado pelo Ministério da Saúde para profissionais AQUI e para a população AQUI

Dez passos para uma alimentação saudável - guia alimentar para crianças menores de 2 anos - Amélia com Vaidade

FONTE: Portal da Saúde – SUS . Disponível em http://dab.saude.gov.br/imgs/portaldab/biblioteca/publicacoes/10_passos_final.jpg – 14/04/2016

Versão menor do Guia anterior, fala somente sobre os Dez Passos para uma Alimentação Saudável, de forma didática e ilustrado. O Guia para profissionais também responde dúvidas comuns.
Para crianças não amamentadas até os 12 meses, o Ministério da Saúde também tem um material bastante didático, o Guia Prático de Preparo de Alimentos para Crianças menores de 12 meses que não podem ser amamentadas, disponível no site do Ministério da Saúde neste link AQUI.

Manual de Orientação – Departamento de Nutrologia – Sociedade Brasileira de Pediatria

Disponível pelo site da Sociedade Brasileira de Pediatria AQUI.

Manual de Orientação Departamento de Nutrologia Sociedade Brasileira de Pediatria - Amélia com Vaidade

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria. Disponível em http://www.sbp.com.br/src/uploads/2015/02/14617a-pdmanualnutrologia-alimentacao-1.png – 14/04/2016

Texto voltado para pediatras, com informações técnicas, mas relevantes, referente a alimentação infantil, como comparativo nutricional entre leite materno, leite de vaca e fórmulas infantil. Diferente dos Guias anteriores do Ministério da Saúde, contempla desde o aleitamento materno até a adolescência. Relendo o Manual ao escrever esta postagem, percebo que preciso revisar a leitura de crianças pré-escolares, que tem a tão famosa aversão ao que é novo. Mãe sofre, viu?! Ou seja, é um manual que deve ter leitura iniciada na introdução alimentar e ser deixada salvo para consultas futuras.

Guia Alimentar para a População Brasileira

link disponibilizado pelo Ministério da Saúde AQUI

Guia Alimentar para a população brasileira - Amélia com Vaidade

Fonte: Portal da Saúde – SUS. Disponível em http://dab.saude.gov.br/imgs/portaldab/biblioteca/publicacoes/guia_alimentar2014.jpg – 14/04/2016

O Guia Alimentar para a População Brasileira foi comemorado desde o seu lançamento pelos defensores de uma vida saudável e referenciado por diversos veículos internacionais, como Food Politics, Collective Evolution, The Globe and Mail, CBCNews Ottawa, Huffpost Living, The Atlantic, citando alguns em língua inglesa. Ele fala que nossas avós já sabiam: coma um pouco de tudo, mas prioriza comida caseira. Nele não se fala em calorias ou em restrições, já que seus princípios respeitam a individualidade e as escolhas individuais, pautadas em informações e preocupação além do que prato em si, como o ato de comer e a comensalidade. Pessoalmente, me encanta a forma como o Guia foi elaborado e organizado, além de ter lindas imagens de alimentos, e recomendo a leitura integral do texto.

O Guia foi feito orientado por cinco princípios (página 23):

  1. Alimentação é mais que ingestão de nutrientes – Alimentação diz respeito à ingestão de nutrientes, como também aos alimentos que contêm e fornecem os nutrientes, a como alimentos são combinados entre si e preparados, a características do modo de comer e às dimensões culturais e sociais
  2. Recomendações sobre alimentação devem estar em sintonia com seu tempo – Recomendações feitas por guias alimentares devem levar em conta o cenário da evolução da alimentação e das condições de saúde da população.
  3. Alimentação adequada e saudável deriva de sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável – Recomendações sobre alimentação devem levar em conta o impacto das formas de produção e distribuição dos alimentos sobre a justiça social e a integridade no ambiente.
  4. Diferentes saberes geram o conhecimento para a formulação de guias alimentares – Em face das várias dimensões da alimentação e da complexa relação entre essas dimensões e a saúde e o bem-estar das pessoas, o conhecimento necessário para elaborar recomendações sobre alimentação é gerado por diferentes saberes.
  5. Guias alimentares ampliam a autonomia nas escolhas alimentares – O acessos a informações confiáveis sobre características e determinantes da alimentação adequada e saudável contribui para que pessoas, famílias e comunidades ampliem a autonomia para fazer escolhas alimentares e para que exijam o cumprimento do direito humano à alimentação adequada e saudável.

Alimentos Regionais Brasileiros

link disponibilizado pelo Ministério da Saúde AQUI.

Alimentos Regionais Brasileiros - Amélia com Vaidade

Fonte: Portal da Saúde – SUS. Disponível em http://dab.saude.gov.br/imgs/portaldab/biblioteca/publicacoes/livro_alimentos_regionais_brasileiros.jpg – 14/04/2016

Outra lindeza do Ministério da Saúde, com ingredientes brasileiros devidamente ilustrados in natura e receitas para cada um desses ingredientes, seja sobremesa, lanche, desjejum, prato principal ou acompanhamento, muito bem organizados por regiões e subdividos em frutas, hortaliças, leguminosas, tubérculos e cerejais e ervas e condimentos. É uma aula sobre diversidade e riqueza alimentar deste país de dimensões continentais. Tem até receita de Arroz com Pêssego, típico da região Sul, que a minha avó materna preparava em algumas datas especiais.


Antes de ir não esqueça de deixar seu joinha e compartilhar com seus amigos.
Também estamos no facebook (facebook.com/AmeliacomVaidade) e no Instagram (@blogameliacomvaidade), com informações diversas e tudo que acontece na cozinha do Amélia com Vaidade e as comilanças dessa que vos escreve.

Print Friendly

Comente via Facebook

comentário(s)

, , ,

Nenhum comentário ainda.

Deixe seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: